ADORMECER DO FOGO.
EDITORA: Dracaena.
ANO: 2012.
PÁGINAS: 288.


SINOPSE: Haverá um tempo em que os povos verão os dragões como deuses e as criaturas da floresta como demônios. As guerras se espalharão como pragas. Amigos e irmãos irão se reconhecer somente como inimigos. O mundo se dividirá entre aqueles que creem e os que desprezam as criaturas aladas. Adormecer do Fogo é o primeiro livro da saga do Império a Ferro e Fogo. Tem o início nas montanhas devastadas pelo frio congelante. Quando mulheres são obrigadas a ceder seus corpos à libido de homens brutais. Filhos não conhecem seus pais. Crianças são mutiladas. E o amor, inexistente.Continue lendo.




Recebi esse livro em parceria com o autor Ben Green. Confesso que não sabia o que esperar dele, já que, para mim, a sinopse do livro parecia um tanto confusa, mas já havia ouvido falar que o livro era bom e queria muito lê-lo.

O livro começa falando sobre a tribo Gha-laad. Os Gha-laad são conhecidos por pertencer o fogo, protegido por Ma-Ghaada, considerada mãe daquela tribo Gha-laad; por seus guerreiros fortes e grandes e pelas Ma-Fi, mulheres que oferecem a energia dos seus úteros (que eles acreditam estar presentes em todas as mulheres da tribo) para fortalecer os guerreiros. A chama sagrada foi apagada por Aixians, criaturas selvagens que perseguem os Gha-laad, e agora seus guerreiros precisam enfrentar uma terrível viagem em busca da chama sagrada, da qual eles não podem viver sem.

A primeira coisa que me chamou a atenção no livro foi a escrita, tinha muita semelhança com a escrita da Bíblia. Todos os nomes significam algo e "determinavam" o que a pessoa ia ser;  e a descendência de muitos era informada. No início pode ser um pouco difícil para compreender, mas com o passar do tempo me acostumei com a leitura e me senti presa ao livro.

Temos personagens muito interessantes, como por exemplo, Sa-Tûr, um guerreiro que, mesmo sendo forte e inteligente, é considerado "menor de idade" por não ter passado no teste de maior idade aplicado pela tribo, que não convém eu contar para vocês aqui na resenha qual é. Sa-Tûr envolve-se com a Ri-zir (guardiã dos escritos antigos) durante a viagem em busca do fogo e acaba fazendo algo totalmente novo entre a tribo: tomando a Ri-zir só para si, sem compartilhá-la com os outros irmãos, formando assim um casal. Tal ação não é bem vista pelos irmãos e o casal se separa deles, indo em outra direção e encontrando uma outra tribo muito interessante.

Já na segunda parte do livro há um envolvimento entre Me-deu, o guerreiro mais novo, e a então chamada Cabelos de Fogo, uma integrante de outra tribo. Mas, ao contrário de Sa-Tûr, Me-deu não aceita abandonar sua tribo para reivindicar a mulher só para si. Nesta segunda parte eles chegam bem perto de encontrar a chama sagrada e, também, de encontrar a morte.

O livro é muito inteligente, fico imaginando o quanto o autor não deve ter estudado para conseguir escrevê-lo de tal maneira. É criativo e diferente. O final me deixou impressionada, toda a busca da chama sagrada e as aventuras serviram para mostrar como o homem encontrou a religião.

Eu acredito que qualquer pessoa pode gostar desse livro. Eu nunca fui tão atraída pelo estilo mas consegui apreciar e admirar o trabalho do autor. Mas, se você não gosta muito de cenas fortes, tais como estupro e agressão, talvez tenha que ser um tanto cauteloso. Sem mais, o livro está recomendado!


12 comentários:

Vanessa Sueroz disse...

Oie,
Eu não conhecia o livro, mas pelo que você falou ele parece bom e se vc não gosta do estilo e gostou rrsrs
Anotado!

bjos

http://blog.vanessasueroz.com.br

Amanda Almeida disse...

Ola, tudo bem?
Confesso que depois de ter lido a sinopse fiquei um pouco desconfortável. Mas depois de ler sua resenha fiquei curiosa quanto ao livro, contudo, não gosto muito de livros que retratem estupro e agressão. Mas ele parece ser um bom livro, e quem sabe depois eu dê uma chance.
Abraços,
Amanda Almeida

Babi Lorentz disse...

Bom, fiquei um pouco confusa com a história. Sempre que existem nomes estranhos nos livros, eu acabo os abandonando, por isso acho que não seria uma leitura muito boa e prazerosa pra mim. Me senti meio longe e não me conectei ao livro com sua resenha. Por isso, acho que dessa vez eu passo.
Beijos.

Livroterapias disse...

Não conhecia esse livro!
Gostei muito de conhecer e sua resenha ficou ótima!
Beijos
Rizia - Livroterapias
http://livroterapias.blogspot.com.br

Ane Reis disse...

Oie!

Não conhecia o livro, mas só a sinopse me conquistou. Gosto muito de livros desse estilo.

Adorei a resenha!

anereis.
mydearlibrary | bookreviews • music • culture
@mydearlibrary

Anhy Menires disse...

Bem, primeira vez que tenho contato com essa obra, e confesso que fiquei confusa, mas entedi mais um pouco depois da resenha.
parece ser legal..
http://anamenires.blogspot.com.br/

Angela Graziela disse...

Não conhecia o livro
Mas a resenha parece ser muito boa
E agora quero muito ler

Beijos
@pocketlibro
pocketlibro.blogspot.com.br

Andressa Andrião disse...

Nossa. O livro parece ser muito bom! Admiro autores que pesquisam bastante para escrever.
Eu já tinha visto a capa várias vezes, mas nunca lera uma resenha.
Eu não sei se iria gostar, por causa de cenas de estupro que você disse que tem... Agressão eu deixo passar, mas ficaria meio transtornada com a outra... Haha. Vou pensar um pouco.

Beijos
http://andressaandriao.blogspot.com.br

Cachola Literária disse...

Olá!
Essa é minha primeira visita ao blog. Parabéns pela resenha!
Eu não conhecia o livro mas o achei bem interessante. Aprecio narrativas bem elaboradas e pelo que pude perceber esse é um deles. A temática é bem legal também.
Adorei conhecer seu blog.

Bjs e sucesso!
@ZildaPeixoto
http;//cacholaliteraria.com.br

Lilo disse...

Conheço o livro do Ben e acho a história bem original. Ainda não o li inteiro, mas é incontestável o talento do autor em narrar uma história complexa como ADF. Adorei a resenha! Sucesso pra vc e pro autor.
Bjos
Lilo
Redenção

Giulia Ladislau disse...

Eu li, mas ainda não consegui fazer a resenha. Gostei muito de Sa-Tûr e Ri-zi, queria saber mais sobre eles...
Beijinhos!
Giulia - Prazer, me chamo Livro

Bianca disse...

Li, gostei muito e relaxem meninas, a cena de estupro não é contada tão detalhadamente assim. Você sabe que ele acontece, mas as circunstâncias em que ocorre, todo o motivo histórico, te faz ter raiva, te faz pensar na impotência e no porque de tal personagem não ter agido feito o outro... Aquilo foi muito interessante.
E também quero mais Sa-tur e Ri-zir, que pra mim, são o casal mais fofo desse livro!

O BLOG


Somos a Andressa e a Amanda (Táta) e estamos procurando deixar os bookaholics assim como nós cada vez mais por dentro do universo literário através de novidades e resenhas!

Followers

FOLLOW BY E-MAIL

ANDRESSA ESTÁ LENDO

TÁTA ESTÁ LENDO

LINK-ME


PARCEIROS

ARQUIVO

Tecnologia do Blogger.
.
.